Os aplicativos móveis se tornaram parte integrante de nossas vidas. O número de aplicativos disponíveis para compra e download na App Store e Google Play ultrapassou 4 milhões.

Não é surpreendente que nem todo produto seja bem-sucedido e reúna pelo menos algum tipo de base de usuários com essa concorrência. E mesmo que os usuários baixem seu aplicativo, com frequência, eles o abrem e usam apenas uma vez.

Por que os aplicativos móveis falham? Existem muitos motivos para isso, desde a ideia erroneamente escolhida do aplicativo até sua implementação e execução inadequadas. Continue lendo para aprender mais sobre cada fator de falha e como evitá-los.

O aplicativo não resolve o problema

Um dos principais motivos pelos quais seu aplicativo não é bem-sucedido é que ele não resolve o problema do usuário.

Você pode projetar o produto perfeitamente, estar em conformidade com as últimas tendências, estar na moda e ser conveniente. Porém, o aplicativo ainda não resolve o problema do consumidor final.

Como evitá-lo?

Antes de desenvolver um aplicativo, você precisa fazer muitas pesquisas e análises. Faça a si mesmo algumas perguntas:

  1. Os usuários precisam do seu aplicativo?
  2. Seu produto fornecerá mais valor aos usuários do que os aplicativos que eles já possuem?
  3. Você pode influenciar os usuários a baixar o aplicativo?

Reúna um grupo de foco e identifique a dor dos usuários principais. Que funcionalidade eles esperam ver no aplicativo para resolver o problema? Tudo isso ajudará a colocar corretamente a ideia e o propósito final do produto.

Seleção errada do público-alvo

Já mencionamos pesquisas e análises acima. A análise de mercado é essencial para determinar um nicho para o aplicativo e criar uma persona do usuário.

Ao ignorar essa etapa, as empresas enfrentam o desafio de os aplicativos não atingirem a demanda esperada.

Como corrigi-lo?

É necessário coletar o máximo de informações possível sobre os usuários: dados demográficos, padrões de comportamento, interesses, objetivos. Quanto mais aspectos você cobrir, maior a probabilidade de criar a persona do usuário mais precisa.

Que práticas seguir?

O método mais prático é criar um MVP (produto mínimo viável). Isso o ajudará a testar o produto, a analisar a eficácia com que ele corresponde às necessidades dos usuários e a identificar lacunas técnicas.

Integre o processo iterativo. Baseia-se em criar, testar, avaliar, melhorar o produto até que o resultado desejado seja alcançado. Em outras palavras, seu trabalho estará no seguinte fluxo:

  • preparar uma versão específica do produto;
  • testando;
  • identificar erros e deficiências;
  • melhorando;
  • criando uma nova versão do produto.

Não é um produto original

O mercado está transbordando de opções. É quase impossível impressionar o usuário e se destacar. E uma interface medíocre que se parece com centenas de outras não o ajudará a obter mais clientes.

O que fazer?

Mais uma vez, faça uma análise competitiva completa. Analisar e estudar produtos concorrentes; como sua aplicação ficará melhor? Liste as vantagens e desvantagens que você pode encontrar neles. O que você pode melhorar com seu produto? Como mudar a abordagem daquilo que o usuário já gosta?

Crie sua Proposta de Valor Único (UVP). É a única maneira de se destacar entre produtos semelhantes e mostrar ao usuário como você difere dos outros.

Escolha errada de monetização

Por que você está criando um aplicativo? Aparentemente, para ter lucro. A falta de receita após o lançamento do produto geralmente leva ao encerramento do projeto.

Por que isso está acontecendo?

Os empreendedores escolhem a estratégia de monetização errada e não usam e testam métodos diferentes.

Os aplicativos móveis podem ser monetizados de diferentes maneiras. Entre as estratégias mais comuns:

  • anúncios no aplicativo;
  • instalação paga;
  • período de teste gratuito com ativação paga adicional do produto;
  • modelo de assinatura;
  • Compras dentro do aplicativo.

Observe o nicho em que seu aplicativo será apresentado. Por exemplo, grandes plataformas de mídia social usam principalmente anúncios, fornecendo acesso gratuito aos aplicativos. Em jogos, o modelo mais comum são as compras no aplicativo. Selecione o modelo de monetização apropriado após fazer sua pesquisa. Você pode implementar várias estratégias, como misturar anúncios no aplicativo e compras no aplicativo.

Escolhendo o mercado errado

O sucesso da aplicação depende diretamente da escolha da plataforma. Estudar seu público-alvo o ajudará a decidir e tomar a decisão certa. Você pode criar o mesmo aplicativo para iOS e Android. No entanto, a persona do usuário dessas plataformas é significativamente diferente. Por exemplo, sabe-se que os usuários de produtos Apple estão dispostos a gastar mais na App Store e em assinaturas. Esses aspectos afetarão a estratégia de monetização, que deve ser adaptada à plataforma que você selecionar para o aplicativo.

Como decidir sobre uma plataforma?

Para responder a essa pergunta, você precisa definir com precisão o propósito de seu aplicativo, bem como o público para o qual ele será adequado. Se você sabe que o público-alvo está em ambas as plataformas, considere a criação de um produto para os dois sistemas. Dessa forma, você irá coletar mais usuários e mais lucro.

A complexidade do produto e sua UX

Se o usuário não consegue obter o resultado com o seu aplicativo, ele não resolve o problema. O produto deve ser intuitivo para que o usuário não tenha que resolver quebra-cabeças ao se cadastrar no aplicativo ou adicionar uma foto. Tudo isso afetará o nível de UX do aplicativo e reduzirá o desempenho geral.

Existem vários fatores a evitar:

  • longo tempo de carregamento;
  • acesso complexo a recursos;
  • longo processo de registro (de preferência, você deve usar a possibilidade de se registrar nas redes sociais / contas de e-mail);
  • baixo desempenho do aplicativo.

O que fazer?

Usando as tecnologias mais simples, permita que os usuários interajam com o produto com um clique. Não complique a interface com diferentes elementos; deixe o menu conter apenas as seções de que você precisa. Preste atenção ao texto; deve ser claro e conciso para não causar dúvidas ao usuário.

Não acompanhando as tendências.

Ao criar um produto, você deve entender que o trabalho não termina com a sua publicação no marketplace. O aplicativo móvel precisa ser constantemente aprimorado e desenvolvido. Em primeiro lugar, a indústria está continuamente mudando e se atualizando, adicionando novos requisitos. Em segundo lugar, até mesmo os dispositivos usados pelas pessoas estão mudando, o que significa que seu aplicativo deve atender a todos esses critérios para exibição e desempenho corretos.

O que fazer?

Acompanhe regularmente as mudanças, novas tendências e adicione novos recursos ao produto. Os usuários verão sua participação e serão mais leais ao seu produto.

Estratégia de marketing ruim

Não é muito razoável esperar que, depois de publicar um aplicativo na loja, suas vendas e instalações disparem por si mesmas. Sem uma campanha de marketing bem pensada e as ferramentas de promoção certas, você não será capaz de ter sucesso.

Você precisa de ajuda profissional. Reúna uma equipe de marketing, analise como e onde promover melhor, consulte SEO.

Hoje, muitas técnicas de promoção não requerem investimentos financeiros significativos. O ponto principal é a coleta de dados estatísticos - os resultados de cada campanha. Do contrário, como entender quais atividades influenciaram o crescimento das vendas, por exemplo?

Conclusão

O desenvolvimento de aplicativos móveis é um processo complicado. E, como mostra a prática, uma ideia não é suficiente para o sucesso da implementação de um projeto. A melhor maneira de se proteger contra falhas é estudar o problema e se preparar para o processo de desenvolvimento. Informações e dados precisos (perfil do usuário, plataforma, monetização) ajudarão a criar um produto mais viável para o sucesso.